Caixa de madeira encerada forrada com uma manta de burel para embalar as joias Tecedeira

 

Tomar decisões quanto à forma de embalar as nossas joias tem sido um verdadeiro desafio. Sempre quisemos que a embalagem fosse parte do produto. Mas chegar lá foi um processo moroso e um verdadeiro teste à nossa persistência e determinação.

Isto porque queremos que seja sólida, durável e que mereça ser guardada. Estamos muito empenhados em que não se transforme em lixo. Abominamos tudo o que é descartável. Escolhemos matérias o mais naturais possível para que, na eventualidade de acabarem no lixo, pelo menos sejam biodegradáveis. A opção pelas matérias naturais é motivada também pelo esforço de evitar ao máximo qualquer material com origem nos combustíveis fósseis, que tantas implicações têm na sustentabilidade da vida do nosso planeta.

Para além de todas as questões relacionadas com a sustentabilidade, desejamos também que as nossas embalagens se encaixem na filosofia e na personalidade das joias e acessórios Tecedeira®. Isto é, que valorizem o artesanato e as artes tradicionais. Que se enquadrem na Slow Life e num estilo Boho e Rustic Chic. Arte, Tradição, Espiritualidade, Natureza e Espírito Livre e Boémio.

Começámos por apostar em caixas de cartão/papel, mas rapidamente descobrimos que a sua durabilidade fica comprometida se houver alguma humidade onde estão armazenadas. Os papéis ficam manchados e feios. E nem todos os materiais usados nessas caixas eram sustentáveis. Investigámos então várias alternativas até que, finalmente, venceu a ideia das caixas de madeira.

 

Caixa de madeira encerada forrada com uma manta de burel para embalar as joias Tecedeira

Começou assim uma nova odisseia: encontrar um fornecedor à nossa medida. Existem fornecedores. O que não existem são fornecedores à nossa medida. Ou é a proveniência das caixas que não fica clara. E nós queremos conhecer a sua proveniência. Preferíamos que fossem produzidas localmente, em Portugal, mas acima de tudo queríamos certificar-nos que eram produzidas de forma ética (com respeito pela dignidade dos recursos humanos envolvidos e pela sustentabilidade do processo produtivo).  Ou são as quantidades mínimas exigidas que vão além da capacidade de armazenamento e de investimento de um projeto com a nossa dimensão.

Não baixámos os braços. Partimos para uma nova aventura. Equipámos a nossa pequena oficina com o mínimo necessário e decidimos produzir as nossas próprias caixas. Definir o modelo, as medidas. Escolher as madeiras. As ferramentas. As colas e os acabamentos mais adequados. Otimizar o processo de produção.

Testámos. Experimentámos. Errámos. Voltámos a tentar. Vez após vez. Aí estão elas. Prontas. A cheirar divinamente a madeira tratada e protegida com amor. Com uma manta de burel a forrá-las e a proteger as peças. Nós adoramos. E vocês?

 

Caixa de madeira encerada forrada com uma manta de burel para embalar as joias Tecedeira

 

Comentários

  • Nenhum comentário encontado

Deixe os seus comentários

0