Bem vindos ao Paginário

Uma coleção de páginas para partilhar o quotidiano, o imaginário, a criatividade e o artesanato de uma família aprendiz de e apaixonada pela Slow Life, pela Transição e Permacultura e empenhada na Sustentabilidade e na Cidadania Ecológica.

Longa vida às mochilas!

20170912 1821351

Quase todos os anos prolongamos a vida das mochilas escolares. Este ano foi um deles. A mochila do Maxi estava impecável e não necessitou de qualquer intervenção. A mochila do Mini-Puto, embora tenha resistido bastante bem ao ano letivo, ainda assim tinha alguns danos pouco significativos que mereceram ser restaurados para prevenir estragos maiores.

Os danos mais visíveis foram causados por nós, porque forçámos o cantil da água a caber no bolso exterior de lado, onde na verdade não cabia e acabou por abrir buracos. Além destes buracos, tinha apenas a ponta de uma das fitas das alças rasgada. Com o novo ano letivo a iniciar, decidimos pô-la em condições. O Mini-Puto adora-a e não havia qualquer justificação para comprarmos uma nova. Lavámo-la e restaurámo-la. Não é a primeira mochila da escola dos filhos que restauramos, mas desta vez o desafio foi maior.

20170901 1730141

Costumamos ter sempre guardadas uma ou duas mochilas velhas e estragadas para podermos ir aproveitando os respetivos materiais no restauro das que estão a uso. Mas neste caso, não pudemos recorrer a eles. Precisávamos de um material que fosse não apenas impermeável, mas que também tivesse a elasticidade necessária para podermos continuar a guardar o cantil naquele bolso. Isto porque, aquele bolso é o único adequado para transportar a água sem colocar em risco de se molharem os cadernos e outros materiais escolares.

Andei vários dias a magicar que material poderia usar com estas características sem ter nenhum momento eureka... até que, com o início do ano letivo à porta, mesmo sem nenhuma ideia brilhante, decidi fazer uma experiência aproveitando a frente de um fato de banho de licra com as costas já esgarçadas. A licra é bastante elástica e embora não seja impermeável, seca muito rapidamente. Pareceu-me um compromisso razável. 20170912 1733401

Comecei por cortar as pontas das fitas das alças com uma tesoura de zigzag. Só uma é que se estava a esgarçar, mas cortei as duas para ficarem uniformes. Depois dediquei-me a confecionar e aplicar o remendo de licra.

20170912 1732241

Pensei primeiro em tapar os buracos todos com um só remendo e comecei a cortar com esse objetivo, mas entretanto mudei de ideias. Decidi usar um remendo de licra apenas para cobrir o buraco maior e para o mais pequeno optei por aproveitar uma das fitas amarelas que tinha cortado anteriormente.

Optei por aplicar um remendo de licra dobrado para o tornar mais resistente. Com o cantil dentro do bolso, medi a área que queria remendar, cortei um retângulo de licra da parte central do fato de banho com o dobro da área medida mais margem para costuras, dobrei-o ao meio, cosi-o à máquina deixando uma pequena abertura para o poder virar para o direito. Apliquei o retângulo já virado do direito à mochila, cosendo-o à mão.

20170912 1411421

É uma mochila com o carrinho acoplado e nada prática de coser à máquina. Uma parte significativa do trabalho foi feita à mão. Com algum esforço, consegui aplicar a fita amarela com a ajuda da máquina de costura, mas só a parte de cima. Nos lados da fita também tive que coser à mão. Deixei propositadamente a parte de baixo da fita por coser, para dar o espaço necessário ao topo do cantil que encaixa precisamente naquele sítio.

O resultado visual não é mau. Passa desapercebido. Agora, vamos ver quanto tempo dura. Não é uma solução perfeita e tenho algum receio de que resista pouco ou que ganhe algum tipo de odor se se molhar com alguma frequência. Mas serve de experiência e dá-nos mais tempo para encontrar soluções alternativas. Entretanto, pode ser que nos lembremos de uma solução melhor e tenhamos o tão esperado momento eureka. Se tiverem alguma ideia ou sugestão de material mais eficaz, não hesitem em partilhá-la connosco!

20170913 2205021

 

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Comentários

  • Nenhum comentário encontado

Deixe os seus comentários

0