Rs no nosso quotidiano

 Serra da Arrábida - Ribeira de Alcube

As nossas preocupações com a sustentabilidade da Vida na Terra.
Os pequenos gestos e as pequenas decisões que vamos tomando...
O nosso esforço de mudar para comportamentos mais sustentáveis e mais saudáveis.
O nosso entusiasmo pelos inúmeros R's (Repensar, Respeitar, Responsabilizar-se, Reeducar, Recusar, Reduzir, Reutilizar, Restaurar, Reparar, Recuperar, Reintegrar, Reaproveitar, Reciclar...).

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

20170912 1821351

Quase todos os anos prolongamos a vida das mochilas escolares. Este ano foi um deles. A mochila do Maxi estava impecável e não necessitou de qualquer intervenção. A mochila do Mini-Puto, embora tenha resistido bastante bem ao ano letivo, ainda assim tinha alguns danos pouco significativos que mereceram ser restaurados para prevenir estragos maiores.

 GOTS
Hoje partilhei um desabafo e informação sobre tecidos no grupo Lixo Zero Portugal no Facebook e achei que devia partilhá-la aqui no blog também. Já há algum tempo que ando a braços com a questão da sustentabilidade do vestuário.

 20170427 161117

Quando se integra o hábito de restaurar a roupa no quotidiano, de vez em quando é necessário simplificar. Uns trabalhos são despachados a preceito, outros vão a eito...

Pantufas tricotadas com restos de lã

As pantufas do Maxi-Puto estão prontas. Como prometido no post anterior, vimos aqui partilhar algumas fotos.

 

Tricotar botas de lã

Todos os anos passamos pela saga das pantufas! A maior parte das pantufas que compramos para os nossos filhos não duram um inverno! Venham de que loja vierem. E lá fico eu desolada a olhar para elas, porque me aflige deitá-las para o lixo. O lixo que a nossa sociedade produz aflige-me cada vez mais. Aliás, é um conceito que nunca deveria ter sido inventado. Polegar para baixo

duas fileiras de frascos cheios de doce de tangera, mas ainda sem etiquetas

Por aqui somos sérios adeptos do “Do-it-yourself”. Cozinhamos, costuramos, restauramos, reparamos, pintamos, construímos, jardinamos… estamos sempre em atividade!

Neste âmbito, nos últimos anos, o Natal tem-se tornado cada vez mais o momento por excelência do “Do-it-yourself” cá em casa! Cada vez mais, optamos por criar as nossas próprias lembranças. Este ano foi assim…

Latas e frascos forrados e reutilizados para embalar chá

Recordam-se da nossa colheita de lúcia-lima? A necessidade de embalar aquele belo chá foi pretexto para reutilizarmos algumas latas e frascos.

Detalhe do restauro do assento com corda sisal

Quando o Maxi-Puto era pequeno, oferecemos-lhe uma linda cadeirinha alentejana com assento de palha. Passado pouco tempo, chegou à nossa vida a Mimosa, uma gatinha malhada ainda bebé, muito brincalhona e traquinas. O resultado? Cadeira alentejana + gatita travessa = adeus assento de palha! Sorriso rasgado

Garrafa com repelente à base de hortelã meio camuflada entre a hortelã num canteiro

Todos os anos as picadas de melgas e mosquitos moem o Minorca da casa. Já foi assim quando o Maxi era pequeno e a saga repete-se. Qualquer picada origina uma reação alérgica tremenda e a criança acaba por se ferir de tanto coçar. E como se não chegasse, quando são  pequenos devem ter um odor particularmente atraente para estes insetos, porque parece que lhes cai um enxame em cima. Foi assim até este ano.

Taça com um limão partido em quartos

Ao longo dos anos, devagar, devagarinho, temos feito opções no sentido de uma vida mais sustentável quer para o planeta, para a nossa saúde ou para a nossa carteira.