Slow living e simplicidade voluntária (Blog)

duas fileiras de frascos cheios de doce de tangera, mas ainda sem etiquetas

Por aqui somos sérios adeptos do “Do-it-yourself”. Cozinhamos, costuramos, restauramos, reparamos, pintamos, construímos, jardinamos… estamos sempre em atividade!

Neste âmbito, nos últimos anos, o Natal tem-se tornado cada vez mais o momento por excelência do “Do-it-yourself” cá em casa! Cada vez mais, optamos por criar as nossas próprias lembranças. Este ano foi assim…

Latas e frascos forrados e reutilizados para embalar chá

Recordam-se da nossa colheita de lúcia-lima? A necessidade de embalar aquele belo chá foi pretexto para reutilizarmos algumas latas e frascos.

Relógio das rotinas para ajudar cirança a situar-se no dia - vista  da metade do círculo correspondente às atividades do dia

“Mamãzita, porque é que não posso comer leite e bolachinhas agora? Porque agora são horas do almoço, Minhoca.” “Mamãzita, já é um novo dia? Não Minhoca, agora são horas do lanche. Hoje dormiste uma sesta.” “Papázito, não quero ir já para a cama. Vá lá, vá lá. Ainda não são horas de ir para a cama. Quero brincar mais um bocadinho.”

Detalhe do restauro do assento com corda sisal

Quando o Maxi-Puto era pequeno, oferecemos-lhe uma linda cadeirinha alentejana com assento de palha. Passado pouco tempo, chegou à nossa vida a Mimosa, uma gatinha malhada ainda bebé, muito brincalhona e traquinas. O resultado? Cadeira alentejana + gatita travessa = adeus assento de palha! Sorriso rasgado